domingo, 2 de abril de 2017

Para acreditar

Talvez seja só fechar os olhos e dar o passo.
É possível que haja o caminho para seguir. Se não. .. que a força dos pés marquem a trilha.
Pode ser que já estejamos na estrada e ainda procurando por ela.

Ter mais prazer nos passos que na pressa da chegada. Nela sempre terminamos mesmo.

Que a beleza esteja no seguir junto.
Que seja permitido o tombo... que tenhamos quem nos levante.
Mas, que tenhamos o privilégio de alguém conseguir levantar.

Que a cada choro haja sorrisos para dar esperança.
Para os calos, o bálsamo do afeto.
Que no frio e cansaço mãos nos socorram e garantam o abrigo do abraço.
Que corramos para dar o abraço!!!

Que ao final da estrada, no abraço do destino, sejamos gratidão.

sexta-feira, 31 de março de 2017

Do amor

Talvez o amor seja isso mesmo.
Essa vontade louca de querer ser melhor, para assim poder ofertar.
Ser silêncio para poder dar voz; mas também ser barulho para espantar a solidão.
Talvez seja essa pausa que dói o coração, para acertar o compasso.
Deve ser essa mania de dizer o óbvio, porque é das coisas simples que nasce a verdade.
Há mais nobreza na alma nua que nos muitos véus que sufocam.

sábado, 25 de março de 2017

Vontades

Vontade de me abrir em flores e perfumar você;
De soprar borboletas que te brinquem;
Vontade de ser água pra derramar frescor em seu corpo;
De ser sorriso e encanto que te alegra.
Da vontade de ser abraço e colo que te envolva...
Aconchego para sempre, para vida.
Talvez remédio na dor, um caminho novo.
Na estrada, mão para ser dada, e que afaga.
Pirraça que te irrita, e te provoca raiva, o olhar... o desejo... a sanha...
Um pouco de choro e medo... medo do devir... e o pavor do ficar e não ver além do hoje.
Vontade de me ver ser a sua vontade.

sábado, 18 de março de 2017

Confissões

Eu não sei ser o que se espera.
Não tenho nada que ate.
Não há segredos nem atrativos.
O que sou não é, de fato, muito.
Deve ser mesmo muito pouco.
Talvez seja mais amarga que doce.
Cada vez mais clandestina, e menos apresentável.
Não sei falar do que sinto, não sei nem mesmo se a alguém faria diferença.
Chego sempre atrasada,
Nunca oportuna.
Talvez uma opção, nunca a escolha.
Quem chega,  invaravelmente, parte.
E eu que a vida inteira quis ser parte de alguém.  Vejo sobras de mim irem no vento.
E a cada promessa de nunca mais querer... Fracasso totalmente.

sábado, 11 de março de 2017

Ocupando a vaga

Às vezes não faz mesmo um mínimo sentido.
Uma única vez seria suficiente não precisarfazer falta.
Deve ser bom ter valor sem precisar desdenhar ou dificultar.
Seria bacana demais poder viver desarmado, sem riscos de ser pisado, passado pra trás.
Seria justo não pagar pela babaquice de outro, pela indiferença ou falta de valor.
.
.
.
Mas esse mundo não existe em lugar nenhum além da minha cabeça. É isso...

Seria maravilhoso não ter mais a velha sensação de hora extra.
Chega a ser tremendamente injusto estar aqui já enfarado. Quando tantos que queriam continuar já tiveram seus dias saldados.
Às vezes a vida é mesmo a "velha carreta desgovernada" que nos atropela. A vida é de matar.

"Viver é muito perigoso, requer coragem".(G. R)