sábado, 25 de março de 2017

Vontades

Vontade de me abrir em flores e perfumar você;
De soprar borboletas que te brinquem;
Vontade de ser água pra derramar frescor em seu corpo;
De ser sorriso e encanto que te alegra.
Da vontade de ser abraço e colo que te envolva...
Aconchego para sempre, para vida.
Talvez remédio na dor, um caminho novo.
Na estrada, mão para ser dada, e que afaga.
Pirraça que te irrita, e te provoca raiva, o olhar... o desejo... a sanha...
Um pouco de choro e medo... medo do devir... e o pavor do ficar e não ver além do hoje.
Vontade de me ver ser a sua vontade.

domingo, 19 de março de 2017

No Corpo

Tantos poetas versaram;
Em tantas canções lhe ouvi.
Alguns experimentei, outros tive.
Mas você não estava.
Seu corpo é mais que o físico, 
Seu suor, olhos e gozo em mim.
O cheiro e o pulso sobre mim.
O grito contido, a mão que prende.
Abrigo no abraço que me cabe inteira.

É a palavra que vem à boca e engulo; com a minha? Com a sua saliva?
Desesperada,  nem sequer pode ou pretende caber em mim, vai vazando pelos poros, gemidos.
Sussuros mudos  minando e amolecendo meu corpo...
Que já é nu, que já é seu.
Que só é completo e amansa em Thi.
Que já não quer outro, que sente não precisar mais procurar.

Como Nut deseja Geb, horizonte e estrelas.

E quando afasta estou impregnada,
apaziguada. Mas, logo sedenta.
Seu corpo é como vida que retorna à terra seca. Como sorriso solto, e a gargalhada que fecha os olhos.

Seu corpo...
Seu corpo é você nele.
No seu corpo você se faz.
No seu corpo está você.
Seu corpo é você
Você, nada além...
Você.

sábado, 18 de março de 2017

Confissões

Eu não sei ser o que se espera.
Não tenho nada que ate.
Não há segredos nem atrativos.
O que sou não é, de fato, muito.
Deve ser mesmo muito pouco.
Talvez seja mais amarga que doce.
Cada vez mais clandestina, e menos apresentável.
Não sei falar do que sinto, não sei nem mesmo se a alguém faria diferença.
Chego sempre atrasada,
Nunca oportuna.
Talvez uma opção, nunca a escolha.
Quem chega,  invaravelmente, parte.
E eu que a vida inteira quis ser parte de alguém.  Vejo sobras de mim irem no vento.
E a cada promessa de nunca mais querer... Fracasso totalmente.

sábado, 11 de março de 2017

Ocupando a vaga

Às vezes não faz mesmo um mínimo sentido.
Uma única vez seria suficiente não precisarfazer falta.
Deve ser bom ter valor sem precisar desdenhar ou dificultar.
Seria bacana demais poder viver desarmado, sem riscos de ser pisado, passado pra trás.
Seria justo não pagar pela babaquice de outro, pela indiferença ou falta de valor.
.
.
.
Mas esse mundo não existe em lugar nenhum além da minha cabeça. É isso...

Seria maravilhoso não ter mais a velha sensação de hora extra.
Chega a ser tremendamente injusto estar aqui já enfarado. Quando tantos que queriam continuar já tiveram seus dias saldados.
Às vezes a vida é mesmo a "velha carreta desgovernada" que nos atropela. A vida é de matar.

"Viver é muito perigoso, requer coragem".(G. R)

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Você

Se passa uma vida querendo conhecer; mas acreditando não ter.
Depois do vendaval não há esperanças de haver.
Questão de tempo... já não se espera... chega você. ...
Mas o mesmo vento que traz é o que leva para longe, outros mares.... Há você. É terrível agora saber. Há você...